25.4.11

Um total de 14 livros de autores moçambicanos e estrangeiros serão lançados ao longo da segunda edição da Feira do Livro de Maputo que vai decorrer durante três dias, 29, 30 de Abril e 1 de Maio, no Jardim do Parque dos Continuadores, na capital do país.

A iniciativa do grupo Culturando, constituído pelos directores dos Centros Culturais Franco-Moçambicano (CCFM),Brasil-Moçambique (CCBM), Alemanha-Moçambique (ICMA), - Instituto Camões (ICCM) e representações culturais das embaixadas existentes em Maputo, nomeadamente: Brasil, França, Espanha, Alemanha, Itália, Portugal e Bélgica, em conjunto com o Conselho Municipal de Maputo e o Instituto Nacional do Livro e do Disco.


A segunda edição da Feira do Livro de Maputo vai decorrer na recém-inaugurada Feira do Artesanato de Maputo e tem como curadora a Naturalmente e é organizada com o objectivo de comemorar o Dia Mundial do Livro, promover o gosto pela leitura e estimular o acesso a livros a um custo mais baixo.


“Durante os três dias da feira teremos diversas ma
nifestações culturais como lançamento de livros, sessões de autógrafos, palestras, oficinas infantis, livros do dia, contadores de estórias, declamação de poesia, monólogos, ilustração e leitura de textos humurísticos”, disse Calana da Silva, um dos responsáveis pela organização do evento.

Milhares de livros literários e académicos estarão à disposição daqueles que pretendem adquirir obras à preços promocionais. “Os feirantes estão a organizar-se para que durante o evento tenhamos o livro do dia que será vendido a um preço abixo do normal, isto como um incentivo para a compra de obras que normalmente não são acessíveis”, disse Calane da Silva.

Calane da Silva revelou que estão confirmadas as presenças de 27 feirantes, entre editoras, livrariam e produtores independentes, conversas e sessões de autógrafos com os autores: João Paulo Borges Coelho, Calane da Silva, Mia Couto, Lina Magaia, Ungulane Ba Ga kossa, Carlos Serra, Hipoloto Sengulane, Jafete Matsimbe, entre outros.

A Feira contará também com a presença do ilustrador da Guiné Equatorial Ramon Esono que irá desenvolver em paralelo um workshop, com a Escola Nacional de Arte Visual e o Escritor e investigador belga Guido Convents.

Os organizadores desta feira pretendem internacionaliza-la cada vez mais de modo a que tenha o mesmo impacto como as afamadas feiras que ocorrem em outras grandes cidades como Paris e Lisboa, segundo disse Calane da Silva.

Alfredo Lituri (Texto e Fotos)

SAPO MZ

link do postPor Panguanita, às 11:56  comentar

23.4.10

O grupo Culturando deu, na tarde de terça-feira, uma conferência de imprensa no Centro de Estudos Brasileiros (CEB) para dar a conhecer a próxima Feira do Livro que terá lugar no Jardim dos Professores, junto ao Hotel Cardoso, em Maputo, nos dias 23, 24 e 25 deste mês.

Calane da Silva, um dos elementos mais activos do Culturando e director do Centro de Estudos Brasileiros, afirmou que Maputo já merecia uma feira desta grandeza. “A feira do ano passado, realizada na Rua D’ Arte, já teve algum impacto. A cidade tem tido feiras dispersas mas nada com uma dimensão à sua altura. Maputo já merecia uma feira anual digna da grandeza da cidade.”

Ao todo, este ano, vão estar presentes 25 stands – mais dois do que no ano passado – e, embora não sejam todos de editoras moçambicanas, estão todos eles presentes no mercado nacional. Irão também sem lançadas sete obras e haverá conversas e sessões de autógrafos com os autores Paulina Chiziane, João Paulo Borges Coelho, Nelson Saúte, Calane da Silva, Mia Couto, Sérgio Simital, Alex Dau, Januário Mutaquia, Pita Alfândega, Carlos dos Santos e Juvenal Bucuane. Em relação a escritores internacionais dois nomes estarão em destaque: Donato Ndongo da Guiné Equatorial e Luca Bussoti de Itália. “Queremos ainda animar o evento com outras actividades culturais que estão ligadas à literatura como a música e os contadores de histórias”, referiu Calane da Silva. Na música marcarão presença Stewart Sukuma, Timbila Muzima e Likute; na declamação de poesia Tânia Tomé;  nos contadores de estórias Tânia Silva, Rafo Diaz; e nos monólogos Lucrécia Paco, Joana Fartaria, Pedro Muiambo (textos humorísticos) e Stélio Inácio.
 
Embora a organização não possa impor qualquer redução do preço dos livros durante a feira, Calane da Silva não tem dúvidas de que os mesmos estarão muito acessíveis “de outra maneira não fazia qualquer sentido”, afirmou. O grande objectivo é que esta feira possa ser mais um instrumento disponível para pôr em foco a realidade do livro. Fazer com que o livro passe a ser um elemento visível, saindo das mãos de uma pequeníssima minoria. Uma sociedade que não lê é uma sociedade doente.”

Refira-se ainda que para que o evento tivesse lugar houve um grande apoio financeiro do banco BCI e das embaixadas com projectos de cooperação cultural em Moçambique O Ministério da Cultura e o Conselho Municipal de Maputo não disponibilizaram qualquer verba, limitando a sua contribuição ao apoio logístico.

Cristôvão Araújo
Sapo MZ

link do postPor Panguanita, às 09:38  comentar


pesquisar
 
feedback
Boa tarde. Este blog esta em destaque na homepage ...
Sou brasileira, actualmente estou residindo em Moç...
arquivo
2011

2010

blogs SAPO